Estádio Germano Krüger

Estádio Germano Krüger

Capacidade: 10.400 espectadores
Inauguração: 12 de outubro de 1941
Localização: Rua Padre Nóbrega,
265, Vila Oficinas – Ponta Grossa – PR


Quem foi Germano Krüger

Por Aryson Franco*


Lá pelos idos de 1920 a então Companhia de Estrada de Ferro São
Paulo-Rio Grande que passava por Ponta Grossa – Pr, contratou o
Técnico em Estradas de Ferro, Locomotivas a Vapor e respectivo
Material Rodante Sr. Germano Krüger, recém chegado da Alemanha.

O referido técnico não só chefiava as Oficinas de Reparação de
Locomotivas, Carros e Vagões de Ponta Grossa, como também era o
Chefe da locomoção, isto é, o responsável pelo tráfego de trens de
Ponta Grossa até Porto União – SC, bem como de Ponta Grossa até
Jaguariaíva no norte do Paraná. Germano Krüger morava nas
imediações das Oficinas da Rede em casa da Companhia, muito bem
construída e dotada de piscina, quadra de tênis pois Germano Krüger
era amante de natação e tênis além é claro de futebol, esporte bem
difundido entre os funcionários da Estrada de Ferro, pois desde 1912
já existia o Operário Ferroviário Esporte Clube, xodó dos
trabalhadores da Companhia.

Como o campo do Operário situava-se na época em terreno localizado
onde atualmente está o Cine Teatro Pax e havia um projeto para a
construção de casas para os operários da Oficina naquele mesmo
local, necessário se fazia encontrar outro local para a construção de
um Estádio que além do campo de jogo tivesse também a respectiva
arquibancada e demais melhorias afins.

Aqui veio a visão do cidadão e empreendedor Germano
Krüger que observando a área próxima das Oficinas da
Rede Ferroviária, embora tratando-se de terreno banhado e
quase intransponível devido a vegetação e a presença de
animais peçonhentos além de um pequeno córrego perena ali
existente.

Pensando muito no assunto Germano Krüger esperou a visita de
seus superiores, fato que ocorria periodicamente e então
apresentou a eles um projeto para a construção ali naquele local
de um campo de futebol para o tão necessário lazer dos
empregados da Estrada de Ferro sediados na região de Ponta
Grossa.

Qual não foi sua surpresa ao receber o aval de seus superiores
que ainda lhes delegaram poderes para que contratasse mão de
obra e o que mais fosse necessário para a execução da obra. O
início da construção deu-se em meados de 1939 e a primeira
providência tomada foi a construção de um pequeno ramal
ferroviário desde a Oficina até o banhado para que uma pequena
locomotiva pudesse tracionar dois vagões gôndolas (de bordas
baixas e de mais ou menos 22 toneladas cada um), os quais
transportavam pedras para inicialmente construir galerias para a
respectiva drenagem do terreno. Feitas as galerias veio à fase
de aterramento para que o terreno de 45.700 m² ficasse na altura
desejada. O restante do trabalho constou de acabamento no
terreno, plantio de grama e construção da cerca em volta do
campo, além do plantio de mil pés de ciprestes importados da
Europa e colocados em volta do terreno.


Como fato pitoresco; conta-se que por ocasião da contratação de mão-de-obra para a construção, muitos jovens que
na época estavam desempregados não aceitaram o emprego por serem torcedores de outros clubes rivais do Operário
como Olinda E.C., União Campo Alegre e Guarani E.C. e que não se dispunham a trabalhar para ajudar um time
adversário no caso o Operário Ferroviário E.C..

Observe-se que a construção do Campo do Operário deu-se exatamente no período da 2ª Guerra Mundial, tendo ficado
pronto em 1942. Posteriormente veio a campanha para a construção da Arquibancada que na época era de madeira e
cuja mão-de-obra mais uma vez ficou por conta dos carpinteiros das Oficinas da Rede Ferroviária.
Por ser de nacionalidade alemã e pela época em que aconteceram os fatos o nome de Germano Krüger ficou esquecido
pelas autoridades e até pelo povo da época e por volta de 1953 por motivos políticos o Estádio do Operário
Ferroviário recebeu o nome de um dos mais brilhantes paranaenses o Dr. Bento Munhoz da Rocha Neto, nome que
manteve-se até meados de 1970 quando um grupo de conselheiros do Operário liderados por um ferroviário e dentista
o Dr. Gerson Meister conseguiu fazer justiça a memória deste grande desportista, idealista e ferroviário GERMANO
KRÜGER perpetuando com seu nome a praça de esportes do Operário Ferroviário Esporte Clube!
*Aryson Franco é ferroviário aposentado da Rede Ferroviária Federal, tendo trabalhado por 33 anos nas Oficinas da
Rede em Ponta Grossa no período de 1953 a 1985 onde iniciou como Auxiliar de Artífice chegando a Supervisor Geral
de Manutenção. Alguns dados mencionados neste artigo foram compilados do Livro “Futebol Pontagrossense,
Recortes da História” do escritor José Cação Ribeiro Junior.
** Artigo enviado por correio eletrônico pelo Jornalista Ivan Vinicius, da Rádio CBN.

***Jogo de inauguração do estádio realizado no dia 12 de outubro de 1941, com vitória do Operário por 6 tentos a 1
sobre o União Campo Alegre. O Operário Ferroviário jogou com: Schmidt Bigode, Bonato e Jaguariaíva; Flávio, Mário
Godoy e Ales; Tico, Paraílio e Viana, Tio Chico e Djalma Dias. Técnico: Tarquino Stumbo.
****Arquibancadas sociais: Construídas em 1979, na gestão do Presidente Antônio Luiz Mikulis, e do Prefeito Luiz
Carlos Zuk.